Ao retomar a história da música, percebemos a sua força cultural na educação dos povos, desde os tempos mais antigos. A música acalma, traduz sentimentos, envolve emoções e nos deixa uma mensagem. Na Igreja, o canto é oração, sobretudo quando cada povo participa ao som de seus próprios ritmos e instrumentos, favorecendo o encontro de irmãos e irmãs na experiência com o sagrado que, quando cantada nos dá uma maior vibração na vivência da fé. Por isso, cabem bem as palavras de Santo Agostinho: “Se queres saber o que cremos, vem ouvir o que cantamos”!

 É momento de iluminar os corações, apagar o egoísmo, plantar a esperança e cantando, suplicar: “Vem, Senhor Jesus”!

Na liturgia solene, conforme nos diz o Concílio Vaticano II, o canto é parte integrante e tem uma função indispensável. O canto nos prepara para entender o mistério da festa e aprofunda nossa comunhão com Deus. Cantando, colocamos na celebração a vida e a história do povo e preparamos a assembleia para a prática da palavra celebrada. Por isso, toda ação litúrgica é sagrada, pois, é a ação de Cristo! E, tanto mais será elevada quando cantada e o povo participar ativamente.

O mistério de Cristo se atualiza ao longo do Ano Litúrgico e nos torna seus contemporâneos. Seu ritmo anual é composto basicamente por três tempos, sendo dois tempos fortes: a Páscoa e o Natal, completados com o Tempo Comum. Neste artigo, destacamos algumas ideias sobre o Ciclo Natalino que consta do Advento, quando se dá o início do novo Ano Litúrgico e prolonga-se até a festa do Batismo do Senhor.

 O tempo do Advento é o momento da escuta da Palavra, tempo de vigilância atenta, de feliz expectativa pela vinda do Senhor. É momento de iluminar os corações, apagar o egoísmo, plantar a esperança e cantando, suplicar: “Vem, Senhor Jesus”! Além dos símbolos, gestos e personagens bíblicos deste tempo (os profetas, a Palavra, a Coroa do Advento, a Novena do Natal, celebrações da reconciliação, gestos concretos de ação solidária), os cantos e as músicas, inspirados nos textos bíblicos que falam do “Emanuel, o Deus-Conosco”, devem expressar alegria e esperança na vinda do Senhor, mostrar caminhos para o amor, na certeza da salvação que está chegando e de que a felicidade e o amor se encontrarão. Neste tempo do Advento, é bom que os instrumentos sejam mais suaves e discretos, por isso, não se canta o Hino de Louvor (o “Glória”) preparando-se para este solene canto que os anjos entoaram na noite de Natal.

“Palavra Eterna se faz música no tempo e habita sempre de novo entre nós”.

No Natal do Senhor celebramos o Amor que não se cansa, por isso, a “Palavra Eterna se faz música no tempo e habita sempre de novo entre nós”. Deus se fez humano e veio procurar corações amigos, devolvendo a nós a luz do sol nascente que traz brilho e nos faz mais benditos, desejosos de participar do Mistério Divino. A finalidade da Encarnação é a Redenção do ser humano. Desse modo, nosso canto expressa o que celebramos: o presépio, o Menino Jesus, luzes e flores, sinos, confraternizações! Os cantos natalinos devem revelar a alegre notícia de que o Deus Menino, nascido em Belém, nasça no coração de cada um, trazendo paz e vida ao mundo. É tempo de relembrar aquelas canções mais antigas, ternas e sempre novas que falam ao coração, como por exemplo, “Noite feliz”! Ainda neste clima de tempo litúrgico do Natal, celebramos a Solenidade da Santa Mãe de Deus, a Epifania do Senhor (manifestação da sua glória e seu amor / Santos Reis) e o Batismo do Senhor: “Este é o meu Filho amado. Ouvi-o!”( Mt 3,17).

Assim, esperamos que nossas celebrações e músicas deste Ciclo do Natal resgatem o verdadeiro sentido cristão destas festas. E, que a magia do Natal em canção, faça de nossas celebrações um espaço de simplicidade, fraternidade e solidariedade, pois celebrar e cantar o Natal do Senhor é fazer o coração amar, acolher a luz, valorizar a vida; é tempo de preparar caminhos que nos conduzem à felicidade.

É isso que queremos celebrar e cantar!

Deixo como sugestão para nossas celebrações, o CD “Natal de Jesus”, gravado pelo Coral Palestrina e lançado por Paulinas COMEP.

Fonte Internet: http://www.a12.com/

Acesse também:

Qual a importância e a função da música na liturgia

A importância da música na Igreja

O que é ser um músico católico?

Deixe sua mensagem para nós: