Ceroferário ou Ceriferário é o nome atribuído ao acólito, adulto ou criança responsável por segurar a vela que significa a Luz que é Cristo. Os Ceroferários tem portanto a função de acompanhar a cruz processional nas procissões de entrada e saída das Celebrações com os ceriais (Círios) – nome dado às velas utilizadas neste Serviço-, para além de poderem acompanhar o Diácono ou o Sacerdote na Leitura do Evangelho.

Preparativos:

1. Preparar os castiçais com as velas do altar;

2. Preparar os castiçais com as velas para a proclamação do evangelho;

3. Preparar caixas de fósforos para acender as velas (altar e proclamação do evangelho);

4. A preparação dos itens 1 e 2 devem ser da seguinte forma:

a. Limpeza dos castiçais (do altar e proclamação do evangelho);

b. Nas velas devem ser retirados os excessos de parafina, deixando-as com um belo aspecto;

c. As velas dos castiçais da proclamação do evangelho devem estar bem firmes no castiçal, para não correr o risco de caírem durante o momento da proclamação;

d. Depois da preparação das velas retirando os excessos de parafina, acende-las por um momento para que a chama fique também com um belo aspecto.

5. Ascender as velas do altar aproximadamente 15 minutos antes do inicio da Missa.

Na Missa:

1. Na procissão de entrada os ceroferários devem entrar à frente da procissão;

2. Chegando ao altar faz-se inclinação e vão para seus lugares no presbitério;

3. Em uma Missa Solene entram atrás do Turiferário “T” e Naveteiro “N” com as velas do altar, onde chegando ao altar faz-se inclinação e deixam os castiçais sobre o altar e seguem para seus lugares no presbitério;

4. Se na mesma Missa houver a entrada da palavra, retornarão a sacristia para, na procissão da palavra, entrar à frente da palavra com os castiçais que serão utilizados na proclamação do evangelho; terminada a procissão, faz-se a inclinação ao altar e seguirão para seus lugares no presbitério, onde deixarão os castiçais no lugar determinado;

5. Quer seja missa solene ou tenha entrada da palavra, deve os “AC” deixar as velas do altar ou da proclamação do evangelho na sacristia;

6. No momento da liturgia da palavra os ceroferários ficam atentos as leituras; se houver apenas uma leitura antes do evangelho acenderão as velas para a proclamação no momento do salmo e se houver duas leituras, acenderão as velas durante a segunda leitura;

7. Quando iniciar a aclamação ao evangelho os ceroferários deverão se posicionar à frente do altar, cada um em uma extremidade, aguardam então o sacerdote para fazerem juntos a inclinação ao altar, e então seguem em procissão ao ambão, onde irão ladear o evangeliário/lecionário;

8. Quando terminada a proclamação do evangelho, e o sacerdote pegar o evangeliário/lecionário para abençoar a assembléia, então os ceroferários elevarão seus castiçais lentamente acompanhando a elevação do evangeliário/lecionário. Após a benção quando o sacerdote estiver descendo novamente ao ambão o evangeliário/lecionário, acompanhar da mesma forma que na elevação, depois seguirão à frente do altar para inclinação (caso seja missa com turíbulo seguir juntos T / N / Ceroferários ao altar para inclinação), então retornam ao lugar no presbitério e apagam as velas;

9. Quando no fim da missa o sacerdote reverenciar o altar com o beijo, descer na medida do possível junto com ele do presbitério, para juntos fazerem a reverencia ao altar, acompanhar a procissão de saída da mesma forma que na procissão de entrada;

10. Depois da despedida na sacristia os ceroferários guardarão os castiçais no devido lugar, tomando cuidado com a parafina quente, para que não se queimem ou derramem parafina sobre os panos do altar, etc….

11. Em uma Missa com a Benção do Santíssimo, e tiver procissão com o Santíssimo na Capela, os ceroferários caminharão à frente do Santíssimo com os castiçais do altar, e depois do sacerdote deixar o Santíssimo no sacrário, os ceroferários colocarão as velas novamente sobre o altar;

12. Em uma Missa onde houver a cruz procissional; na procissão de entrada os ceroferários entrarão ladeando a cruz, em determinadas Capelas onde não tenha um espaço maior para a procissão de entrada, os ceroferários caminharão ligeiramente atrás da cruz, chegando ao altar faz-se junto com o cruciferário inclinação, deixam os castiçais sobre o altar e seguem para seus lugares no presbitério; na procissão de saída recolhem os castiçais do altar e acompanham a procissão de saída da mesma forma que na procissão de entrada;

13. Se houver algo de diferente será descrito nas observações do Cerimonial Preparativo para a Missa.

14. O Acólito que caminha na procissão do lado direito põe a mão esquerda na base do castiçal e com a direita segura-o pelo meio; o Acólito que caminha na procissão do lado esquerdo põe a mão direita na base do castiçal e com a esquerda segura-o também pelo meio.

Observações Finais

Estes Cerimoniais para Acólitos “coroinhas”, foram desenvolvidos por Leandro Campos e Bruna Meira (Capela São Domingos de Gusmão – Paróquia Santa Luzia – Pq. Mikail – Diocese de Guarulhos – SP – Brasil), com o intuito de facilitar aos iniciantes ao serviço do altar e para consulta aos já iniciados.

Foram desenvolvidos conforme a realidade (espaço celebrativo, posicionamento do altar, ambão etc.) de nossa Capela São Domingos de Gusmão. E adaptado a toda Paróquia com pequenas alterações de acordo com as realidades de cada Capela.

Foram passados todos os Cerimoniais em Formação Paroquial para Acólitos com a presença dos coordenadores de liturgia no primeiro trimestre de 2010, como material formativo e de apoio a todas as Capelas. Cada Capela nossa tem uma apostila com todos os Cerimoniais.

Os grupos de Liturgia e Acólitos “coroinhas” que desejarem utilizar nosso material, consultem vosso Pároco para eventuais adaptações quanto ao espaço celebrativo.

Fonte Internet: http://formacaoparaacolitos.blogspot.com.br/

Deixe sua mensagem para nós: