Terça-feira da 23ª semana do Tempo Comum

Evangelho (Lc 6, 12-19)

12 Naqueles dias, Jesus foi à montanha para rezar. 
E passou a noite toda em oração a Deus. 

13 Ao amanhecer, chamou seus discípulos 
e escolheu doze dentre eles, 
aos quais deu o nome de apóstolos: 
14 Simão, a quem impôs o nome de Pedro, e seu irmão André; 
Tiago e João; 
Filipe e Bartolomeu; 
15 Mateus e Tomé; 
Tiago, filho de Alfeu, e Simão, chamado Zelota; 
16 Judas, filho de Tiago, 
e Judas Iscariotes, aquele que se tornou traidor. 
17 Jesus desceu da montanha com eles 
e parou num lugar plano. 
Ali estavam muitos dos seus discípulos 
e grande multidão de gente de toda a Judéia e de Jerusalém, 
do litoral de Tiro e Sidônia. 
18 Vieram para ouvir Jesus 
e serem curados de suas doenças. 
E aqueles que estavam atormentados por espíritos maus 
também foram curados. 
19 A multidão toda procurava tocar em Jesus, 
porque uma força saía dele, e curava a todos. 

 

Reflexão:

Queridos irmãos,

A liturgia da Palavra desta terça-feira nos convida à oração. Jesus sobe à montanha para rezar, para se comunicar com o Pai. O Evangelho inicia nos inserindo na cena bíblica do diálogo de Jesus com o Pai, que sempre precede, nos trechos bíblicos, os importantes momentos da comunidade de fé. O Evangelho acaba com uma bonita afirmação “A multidão toda procurava tocar em Jesus, porque uma força saía dele, e curava a todos”. Certamente, irmãos esta força vem de Deus, vem de seu encontro com Ele.

Nós, discípulos e discípulas de Jesus podemos correr um grave erro, no anuncio da boa-nova, é o de pregar a nós mesmos. Sem a força do alto, corremos o risco de aparecer-nos em detrimento daquele que devíamos anunciar, JESUS CRISTO. É no diálogo com o Pai, na oração, que podemos ter força e aprender de Deus a bonita e difícil arte de anuncia-lo. Que Deus nos inspire sempre. Assim seja.

Leandro Francisco da Silva

Pós-noviço salesiano

leandrofsdb@yahoo.com.br

Deixe sua mensagem para nós: