Conheça um pouco sobre a vida e vocação de nosso querido salesiano Neto.

Testemunho vocacional de José Geraldo Cursino de Moura Neto, SDB

Quinta-feira da 25ª Semana do Tempo Comum

Lorena/SP, 23 de setembro de 2021

“Olhos fixos em Jesus” (Hb 12, 2)

            Me chamo José Geraldo Neto e sou salesiano aspirante ao sacerdócio. Nasci no dia 14 de junho de 1991, na cidade de Arcoverde-PE, sertão pernambucano, onde fui criado com amor. Contudo, desde cedo também precisei enfrentar alguns momentos difíceis, como a separação dos meus pais e as dificuldades relacionadas ao relacionamento com as pessoas na escola e na família. Diante disto, precisei amadurecer cedo e, como filho mais velho, ajudar os meus pais a cuidarem da minha irmã e organizar as coisas em casa. Apesar da maturidade adquirida, fui perdendo, enquanto criança, a alegria, a confiança, a espontaneidade… fui me isolando cada vez mais e, com isso, perdendo os amigos e alegrias próprias desta idade.

Aos 14 anos, com o fim do ensino fundamental, mudei-me para Recife para morar com o meu pai e estudar. Paralelo a isso, fui, ao longo da vida, me afastando cada vez mais do catolicismo, o qual vivi bem até a separação dos meus pais, e comecei a buscar respostas para a minha vida no espiritismo. Passei alguns anos buscando viver esta doutrina, me aprofundando, e cheguei até a iniciar os estudos em preparação para ser médium. Contudo, isso ainda não me saciava, sentia que faltava algo, e, por mais que buscasse me aprofundar, nunca me sentia completamente seguro neste caminho.

Em torno deste cenário, muitos outros desafios foram surgindo num curto espaço de tempo, como a morte dos meus dois avôs, as dificuldades financeiras enfrentadas e a percepção de um grande vazio em mim. Estes fatores foram roubando de mim a esperança e o sentido da vida, fazendo-me experimentar uma solidão incômoda e deixando-me sem grandes motivações e perspectivas para a minha vida.

Foi aí que, no ano de 2011, um grande e importantíssimo fato ocorreu em minha vida: por intermédio da minha irmã, conheci o Ágape, grupo jovem do qual fiz parte posteriormente por 7 anos, e através do qual comecei a me reaproximar da Igreja e encontrar na pessoa de Jesus Cristo a resposta para todas as minhas perguntas. No começo não foi tão simples assim. Lembro que dizia muito que não queria trocar de religião como quem troca de roupa, e passei a estudar as coisas da Igreja para melhor entendê-la e assim poder tomar a minha decisão.

Foi então que, no Natal de 2011, após 11 anos sem me confessar, que tive a confissão mais determinante da minha vida.  Através de Padre Fábio, salesiano, que foi a primeira pessoa que representou a figura de Dom Bosco em minha vida e viria a ser posteriormente meu diretor espiritual, tive pela primeira vez o contato com o carisma salesiano. Nesta confissão, que durou cerca de 3 horas, fui convidado por ele a ter, como penitência, o preparo diário em oração para o meu encontro com Cristo, pois, segundo ele, não seriam os conhecimentos que eu poderia ter sobre a Igreja que me fariam tomar uma decisão, mas sim um encontro com a Pessoa de Jesus.

Continuei a minha caminhada na Igreja e em oração diária por este encontro. Foi aí que, ao fazer o retiro de carnaval da Comunidade Católica Manaaim, em 2012, vivi uma profunda experiência de autoconhecimento e encontrei a quem tanto eu procurava: Jesus Cristo! Na simplicidade, no silêncio, sozinho, num momento de contemplação, O percebi ao meu lado, em minha vida e ao longo de toda a minha história, de maneira real, concreta. Olhou em meus olhos, me amou e me chamou à conversão, a deixar para trás o homem velho e me revestir do homem novo. Eis aqui o momento mais importante da minha vida.

Passada esta experiência, voltei à Paróquia e ao Grupo Jovem Ágape com o espírito renovado. Mergulhei de cabeça nas coisas de Deus e passei de fato a viver o que a Palavra aponta em Colossenses 3, 3: “existe uma nova vida escondida em Cristo Jesus”. Nesta nova vida, me percebi amado novamente, percebi que Deus queria me relembrar a minha capacidade de amar, me chamando a cuidar das pessoas, a levá-las até Ele; descobri a alegria do serviço, a completude que a renúncia de mim mesmo me dava, comecei a entender e a viver o mistério da Cruz; me sentia amado, escolhido, eleito; fiz, dentro da Igreja, os meus melhores amigos; vivi minha segunda infância, vi aquela criança alegre, espontânea e feliz que havia sumido há anos voltar. Deus me alcançou e me devolveu a minha vida, que ao mesmo tempo, já não era mais minha, mas d’Ele.

Após vários anos servindo na Paróquia e no grupo de jovens, em 2015, ainda com muita sede, passei a viver a Eucaristia diária e em uma Missa, ao ouvir a passagem “buscai primeiro o Reino de Deus e todas as outras coisas lhe serão dadas por acréscimo” (Mt 6, 33), tive, pela primeira vez, o desejo de ir em missão pela Igreja. Após pesquisar na internet e fazer alguns cadastros nos sites, fui convidado pela Fazenda da Esperança para ajudar na primeira missão deles na Itália, na cidade de Lamezia Terme. Sem pensar muito, prontamente pedi demissão do meu emprego, juntei as minhas verbas rescisórias e fui para lá, sem nunca antes ter viajado de avião ou falado italiano. Foram três meses difíceis, de muito aprendizado e crescimento.

Nesta experiência, me senti chamado por Deus ao sacerdócio e voltei para o Brasil com o coração decidido e cheio de alegria e gratidão por Deus ter me escolhido. No final deste mesmo ano, conversei sobre isto com meus pais e minha irmã, que apesar de sentirem o impacto da notícia, foram bastante generosos e apoiaram a minha decisão. Contudo, ainda precisava concluir o meu curso na faculdade e, por isto, posterguei a minha decisão final até o ano de 2018, ano em que concluí os estudos no curso de Ciências Contábeis e vivi como aspirante externo, sendo acompanhado pela comunidade salesiana do Sagrado Coração, em Recife/PE.

Ao final deste ano, após ter vivido um processo de discernimento vocacional entre a Arquidiocese de Olinda e Recife e a Sociedade de São Francisco de Sales, decidi ingressar na formação salesiana, pois, apesar de me ver feliz sem estar casado, não conseguia me imaginar feliz sem uma família, e a vida religiosa representava esta família na Igreja para mim. Sem dúvidas, esta foi uma das decisões mais importantes da minha vida, pois via começar a tornar concreto o sonho de Deus para mim, algo que há muito tempo esperávamos. Em 2019, vivi na cidade de Juazeiro do Norte/CE a etapa do pré-noviciado, tempo de muito amadurecimento, autoconhecimento e aprendizado. Em 2020, vivi a etapa do Noviciado em Curitiba/PR e no dia 31 de janeiro de 2021, dia da Solenidade de São João Bosco, fiz a minha primeira profissão religiosa como Salesiano de Dom Bosco aspirante ao sacerdócio. Hoje, como salesiano, posso dizer que sou feliz e realizado. Foi na esteira de Dom Bosco que encontrei o sentido de doação que tanto buscava em minha vida; a oportunidade seguir Jesus Cristo vivendo a graça da unidade, trabalhando em prol dos jovens, e entendendo que, mesmo nos dias mais difíceis, a alegria pascal é um bem precioso e norteador da minha vida. Com gratidão e muita fé, peço a Deus que me dê a graça de seguir firme neste caminho e me possibilite ser, no mundo, sinal e portador do seu Amor aos jovens que mais precisam.

2 thoughts on “Testemunho Vocacional do salesiano Neto

  1. Parabéns pelo belíssimo testemunho e obrigada por compartilhar conosco as recordações de sua trajetória. Parabéns Neto pelo seu exemplo de amor, dedicação e entrega ao chamado de Deus em sua vida!
    Deus lhe abençoe pelo belo testemunho sincero de amor, fé e de uma vida que se deixou ser tocado pelo amor de Deus.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.