D.Bosco foi um homem e um santo apaixonado: por exemplo,  pelos jovens e pelas coisas que agradavam aos jovens, pelo Papa, por Nossa Senhora Auxiliadora… Hoje lhes trago mais uma paixão de D.Bosco: pelas Sagradas Escrituras.

Baste-nos ver o número de citações bíblicas dos seus escritos. Em 239 escritos seus o estudioso salesiano Fausto Perrenchio constatou 6.929 citações, das quais 4.662 do Novo Testamento e 2.267 do Antigo Testamento. Mesmo que a maioria seja ad sensum, isto é, olhando mais para o sentido que para as palavras. Citações literais, exatas, de passagens do texto sagrado são só 1.500. Mas isso já é admirável! Para a grande quantidade de citações ad sensum damos essa explicação: D.Bosco escrevia depressa, em meio a muitas ocupações, muitas vezes de noite… As provas para publicação eram corrigidas em carruagens, trem, pelas estradas. Essas citações revelam um D.Bosco sempre ligado, de um jeito ou de outro, com o Livro Santo. Como escreveu Pietro Stella, outro estudioso de D.Bosco: a linguagem dele era “impregnada de reminiscências bíblicas”.

sjoaoboscoOs Evangelistas gostam de narrar os fatos da vida de Jesus, tendo como pano de fundo episódios da vida de personagens bíblicos do Antigo testamento, como Moisés (em Mateus), Elias (em Lucas)… D.Bosco os imitou: “Como não ficar marcados, diz outro estudioso ainda, pela extraordinária semelhança, também lexical, de certas narrativas das Memórias Biográficas ( 19 grossos volumes escritos em grande parte por seus filhos salesianos durante sua vida) com passagens bem conhecidas do Antigo e do Novo Testamento?” Para isso ele precisou naturalmente freqüentar muito a Sagrada Bíblia…

E o que dizer dos seus sonhos (fenômeno curioso que o acompanhou por cerca de 60 anos) ? Interessantes constatações puderam ser feitas comparando o sonho dos 09 anos com os sonhos de dois jovens da Bíblia: aquele que será um dia o patriarca José e Daniel. E não poucos sonhos de D.Bosco estão fortemente marcados pelo gênero bíblico apocalítico, como os sonhos dos Grandes Funerais na Corte, do Cavalo Vermelho, dos Dez Diamantes…Os sonhos eram contados por D.Bosco aos meninos e jovens com grande proveito espiritual deles.

Agora gostaria de mostrar D.Bosco enquanto educador em Valdocco, centro de sua obra. Nada melhor que surpreendê-lo preparando sua História Sagrada. Ele escreve na Apresentação dessa obra: ”Procurei compilar um curso de História Sagrada, o qual, enquanto contém todas as informações mais importantes dos livros sagrados sem perigo de despertar idéias menos oportunas, pudesse ser apresentado a um menino qualquer dizendo-lhe: toma e lê. Para conseguir isso narrei a um grupo de jovens de diversos tipos todos, um a um, os fatos da Sagrada Bíblia, observando, pormenorizadamente, que impressão o relato causava neles e que efeito produzia depois. Isto me serviu de norma para omitir alguns, fazer apenas um aceno a outros, e expor outros (ainda) com as relativas circunstâncias…Em cada página tive sempre presente aquele princípio: iluminar a mente para tornar bom o coração, e (como se exprime um valoroso mestre) popularizar o mais possível a ciência da Sagrada Bíblia, que é o fundamento da nossa Santa Religião…” É emocionante ver nosso pai atuando assim…

Outro recurso por ele utilizado foi o de espalhar citações bíblicas nos pórticos por onde circulavam as pessoas, especialmente os seus jovens: a 1ª série é de 1856 e estava ao lado da Igreja de S.Francisco de Sales (são 30 citações); a 2ª série, de 1861, estava no novo pórtico, lado oposto ao anterior (são 07 citações); e a 3ª série, que foi para o pórtico das novas construções e são de 1864 (04 citações).

Por Pe. Alcides P. da Silva, SDB
Fonte Internet: http://ssccbsp.org/noticias/dom-bosco-e-a-biblia-um-amor-de-paixao

Deixe sua mensagem para nós: